Arquivos do Blog

Cataguases fica encantada com Elisa Lucinda no FELICA

A noite de ontem do FELICA foi encerrada com um verdadeiro show de alegria, bom humor e descontração. A escritora Elisa Lucinda presenteou a todos com uma presença de palco marcante e com uma prosa (e poesia também) agradabilíssimas.

Aproveitando o tema da edição deste ano do Festival Literário de Cataguases, “A poesia da vida”, Elisa enumerou uma série de situações do nosso cotidiano em que põe a palavra como o elo mais importante da vida. Alternando histórias com recitais de poesias, contanto, inclusive, com participação do público, Elisa debruçou-se sob a ideia do “Poder da Palavra”, ainda cantou “Baião da Penha”, de Luiz Gonzaga, e terminou a noite com o poema “Só de sacanagem”

Mais imagens, clique aqui.

O FELICA conta com o patrocínio da Lei Municipal Ascânio Lopes.

Anúncios

Roseana Murray fala para mais de 100 crianças no FELICA

Na tarde desta quinta-feira, 10, segundo dia do FELICA, mais de 100 crianças assistiram à apresentação da escritora infanto-juvenil Roseana Murray, na Biblioteca Municipal Ascânio Lopes. Entre estudantes de escolas públicas, particulares e de projetos sociais, Roseana falou durante cerca de 1h30min sobre seus livros, a importância da leitura e atendeu a todos com muita atenção e carinho.

A importância da obra de Roseana Murray é tão grande que atraiu o interesse de um grupo de estudantes de Pedagogia e da mídia televisiva. Confira algumas fotos aqui.

O FELICA conta com o patrocínio da Lei Municipal Ascânio Lopes.

Primeira atração do FELICA 2011 foi um sucesso

A 3ª edição do FELICA começou com a palestra da escritora de livros infantis Maria Vargas nesta quarta-feira, 09, na Biblioteca Ascânio Lopes, na Chácara Catarina.

O primeiro encontro do FELICA 2011 reuniu crianças da Escola Municipal Prefeito José Esteves e do Colégio Equipe, além do grupo de contação de história da Escola Municipal Carmelita Guimarães, Jovens Griouts, compostos por alunos do 6ª Ano do Ensino Fundamental.

Na avaliação da escritora Maria Vargas, foi uma  ótima oportunidade  de estar com crianças que tenham os olhos brilhando à procura de uma história que disperte sua imaginação. Ao término das atividades, foram sorteados alguns exemplares de seu último livro “Pira Poré” e distribuidos Manifestos do Projeto Brasil Literário, idealizado pelo poeta Bartolomeu Campos de Queirós, que também estará no Festival Literário de Cataguases.

Confira a galeria de fotos da primeira atração do FELICA 2011 clicando em aqui.

O FELICA conta com o patrocínio da Lei Municipal Ascânio Lopes.

FELICA no Tribuna de Minas, de Juiz de Fora

Entrevista com o escritor Marcelo Benini

O poeta cataguasense radicado em Brasília, Marcelo Benini, em entrevista ao CataguasesViva, fala de como surgiu sua relação com a literatura, com Cataguases e de sua participação na 3ª edição do FELICA.

Marcelo participará da mesa “Um poeta não se faz (só) com versos”, juntamente com o poeta angolano Ondjaki e Chacal, na sexta-feira, 11, às 20h, na Casa Simão.

1) Quando começou seu contato com a literatura? A história literária de Cataguases influenciou de alguma maneira seu trabalho?

Marcelo: Minha lembrança de escrever poemas vem de quando tinha doze anos. Nesse sentido, penso que minha ligação com a literatura começou primeiro como autor, antes mesmo de me tornar um leitor assíduo.  Depois, por volta dos dezesseis, comecei a ler mais seriamente.

Meu contato com a literatura de Cataguases veio mais tarde. Pelo fato de ter saído da cidade com apenas quatro anos, não pude ter esse aprendizado na escola – imagino que a história cultural de Cataguases seja ensinada nas escolas daqui.  A primeira vez que ouvi falar da Revista Verde foi em uma matéria de jornal trazida até mim por meu pai. O assunto me interessou e comecei a pesquisar.

Tenho grande admiração e orgulho pela história cultural da cidade em que nasci. Sempre que posso conto essa história e as pessoas ficam perplexas com a intensidade de tudo que já aconteceu aqui, algo inesperado e inédito para uma cidade do interior do Brasil. Cataguases tem enorme influência na minha percepção do mundo e, consequentemente, em tudo que escrevo.

2) Como foi escrever e publicar seu primeiro livro de poesia “O Capim Sobre o Coleiro”?

Marcelo: Embora escreva desde garoto, a decisão de publicar um livro aconteceu um pouco tarde, aos quarenta anos. “O Capim Sobre o Coleiro” é, digamos assim, o resultado primeiro dessa trajetória. Alguns poemas remontam há mais de vinte anos, outros foram escritos recentemente.

Esse livro tem uma forte ligação com Cataguases, embora o nome da cidade não apareça em nenhum poema. Muitas coisas daqui me inspiraram, como as ruas de paralelepípedo, o trem, as gaiolas de passarinhos penduradas nos bares…  Não é um livro de reminiscências, mas nele eu falo da vida através dessas coisas que estão impregnadas na minha experiência.

 No meu segundo livro, que será lançado em 2012, a cidade também está muito presente.

 3) Como cataguasense, o que significa a realização de um evento como o FELICA em sua cidade natal?

Marcelo: Estou vivendo uma grande expectativa quanto a participar do Festival. O FELICA é mais um capítulo da importante história cultural de Cataguases. É resultado de toda uma tradição de grandes escritores, de gente que produziu um enorme acervo literário, que deve ser motivo de orgulho para toda a cidade. O Festival está resgatando tudo isso. Torço para que a cidade se envolva, que o Festival ganhe as ruas; que seja comentado e debatido nas casas, nas praças; que chegue ao conhecimento das crianças e dos jovens, enfim, que Cataguases não se negue a prosseguir nesse belíssimo destino de cidade cultural.

Matéria do FELICA no Jornal Cataguases

FELICA – 2011

É na próxima semana a terceira edição do FELICA. Não perca.

Plástico Bolha começa a ser distribuído também em Cataguases

O Jornal Literário Plástico Bolha começou a ser distribuído em Cataguases na noite desta sexta-feira, 21, no lançamento do livro “Uma Verde História”, de Joaquim Branco e Fernando Abritta, no Centro Cultural Humberto Mauro.

Foram distribuídos gratuitamente as últimas edições do PB apresentando  o periódico aos presentes no local como preparação para a distribuição em massa que haverá no FELICA – Festival Literário de Cataguases – que acontecerá entre os dias 9 e 12 de novembro.

Entrevista com a escritora Ana Paula Maia

fofo: Marcelo Correa

A escritora Ana Paula Maia, que estará na 3ª edição do FELICA, no dia 12 de novembro, na mesa Criar, recriar ou retratar: os artífices da ficção atual, ao lado do escritor Elias Fajardo, natural de Tebas, distrito de Leopoldina, na Casa de Cultura Simão, concedeu uma entrevista para o CataguasesViva apresentando um pouco mais de seu trabalho e de sua afinidade com Minas.

1) Você já havia lançado “O habitante das falhas subterrâneas”, em 2003, mas acredita que sua participação na antologia 25 mulheres que estão fazendo a nova literatura brasileira, organizada por Luiz Ruffato, tenha alavancado ou solidificado sua condição como prosadora? Como é sua relação com o também cataguasense Ruffato?

APM – Quando o Ruffato me convidou para participar desta antologia eu havia acabado de lançar o meu primeiro romance, “O habitante…” Foi a primeira antologia de contos da qual participei e foi sim muito importante para o meu ingresso no cenário literário. A antologia não alavancou a minha carreira, mas foi um ponto muito positivo. Eu tive uma longa estrada para continuar e me firmar na carreira de escritora.

2)Você uma vez disse que é mineiríssima, por ter vários parentes aqui em Minas, e antes de estar em Cataguases participará no Felit (evento em São João del Rei), as paisagens interioranas fazem parte de alguma narrativa sua? Qual sua impressão de Cataguases?

APM – Estive rapidamente em Cataguases, por conta de uma visita a um tio avô que morava na cidade, vi muito pouco do lugar e desta vez, espero conhecer mais. Meus livros avançam cada vez mais para paisagens interioranas, é como se eu estivesse vivendo um êxodo urbano na minha literatura.

 3)    Como foram os processos de criação de suas obras?

APM – O processo de criação de cada livro foi diferente entre si, porém, os meus dois últimos livros, que consiste em três histórias que formam a trilogia “A saga dos brutos”, foi um projeto que teve unidade de pensamento, ou seja, faz algum tempo estou desenvolvendo o mesmo tema: a relação do homem com o trabalho que exerce e como esse trabalho molda ou influencia o seu caráter.

Geralmente penso muito antes de começar um livro, leio artigos, faço pesquisa. Gosto de obter informações que alimentam a minha imaginação e que agregam valores ao texto.

4)    O que acha da realização de eventos literários a fim de promoverem o incentivo à leitura?

APM – A literatura está na agenda cultural do país e isso é maravilhoso. É só o começo do estímulo a leitura, pois quanto mais se fala do assunto, mais ele se torna conhecido, comum. A literatura tem estado mais perto das pessoas, porém a formação de novos leitores parte principalmente da vontade individual, de cada um querer ler.

 

CataguasesViva realiza 3ª edição do FELICA

A terceira edição do FELICA – Festival Literário de Cataguases – está marcada para os dias 09 e 12 de novembro. Nesse ano, o tema do FELICA será “A poesia da vida” e privilegiará temas correntes em nosso cotidiano, como acontecerá na mesa de abertura do FELICA 2011, com a atriz e poeta Elisa Lucinda cujo tema é “Parem de falar mal da rotina…”.

Além de Elisa, os outros convidados do FELICA são: a jovem prosadora Ana Paula Maia, o poeta Bartolomeu Campos de Queirós, o poeta da Geração Marginal, Chacal, o artista plástico e romancista tebano Elias Fajardo, o cataguasense radicado em Leopoldina José Geraldo Gouvêa, Marcelo Benini, também nascido aqui e morador de Brasília, o romancista e cineasta húngaro Miklós Palluch, o poeta angolano Ondjaki e a jornalista Sabrina Abreu.

O FELICA para crianças terá um seleto grupo de escritores voltados para esse público específico.

Nomes como os de Roseana Murray, Otávio Jr., idealizador do Projeto “Ler é 10 leia favela”, no Complexo do Alemão, no Rio de Janeiro, o escritor Luciano Sheikk e da escritora Maria Vargas completam a lista dos nomes que juntamente com a equipe do Proler farão apresentações e conversarão com as crianças a respeito do universo da leitura e de sua importância.

A edição 2011 do FELICA é uma realização do site CataguasesViva.com e só foi possível graças à aprovação do projeto na Lei Municipal de Incentivo à Cultura Ascânio Lopes. Mais informações no site do Festival: www.cataguasesviva.com/felica

A expectativa esse ano é consolidar de vez o Festival Literário de Cataguases no calendário cultural da cidade, uma vez que sempre nos pautamos em trazer nomes de primeira grandeza do cenário nacional da nossa literatura, afirma Geraldo Filho, curador literário do Festival.